Cidade Universitária São Paulo/SP - USP
Instruções para coleta e fixação de material para MEV

A preparação da amostra é a parte mais importante na MEV. Se a amostra não foi preparada adequadamente, nem um microscópio de última geração  poderá proporcionar imagens razoáveis.

– Cuidado no Manuseio, Limpeza e Tamanho;

O MEV é comumente usado para observação de detalhes estruturais da superfície da amostra. A preservação/integridade e limpeza deverá ser considerado no processo de preparação.

Cada amostra tem sua particularidade de acordo com a proposta do pesquisador.

Examine a amostra na lupa ou no estereoscópico para observar os detalhes e procure informações física e química. As informações auxiliam na elaboração do protocolo mais adequado como também na interpretação dos resultados. Recomenda-se buscar na literatura um método empregado com sucesso.

As amostras como regras devem possuir as dimensões mínimas necessárias para o estudo que se pretende realizar, uma vez que as dificuldades durante a observação no MEV crescem em proporções diretas com o seu volume.

 Fixação- É sem dúvida a etapa mais crítica de todo o processo.

Na MEV requer fixador mais isotônico, concentração e solução tampão adequada evitando assim choque osmótico nas camadas superficiais de interesse.

Indicado Glutaraldeido a 2,5 a 3% em solução cacodilato de sódio (ou fosfato de sódio) 0,1M e pH 7,2 a 7,4 temperatura de 5-8ºC ou solução de Karnovsky (Mistura de Glutaraldeído e Paraformaldeído) (Karnovsky, 1965).
O volume da  solução fixadora é de 20 vezes a da amostra. Marcar no frasco o dia e a hora da coleta e fixação. Enviar ao laboratório para dar continuidade no processamento o quanto antes.

Especialista de laboratório:

Dra. Rose Eli Grassi Rici
Médica Veterinária

http://lattes.cnpq.br/7165178336774553

Telefone: +55 11 26481352
E-mail: contato@cadifmvzusp.com.br

Tradução